Conversar com um contrato

Quando entra num processo de Coaching deve ter um tema, um assunto, um conteúdo concreto que queira tratar. Com um coach profissional, tem como compromisso escolher do que quer falar, a agenda é exclusivamente sua. Vou dar-lhe um exemplo: se acordou com o seu coach que o seu processo tem como tema “melhorar a minha forma de comunicar” e como objetivos “saber fazer apresentações em público de forma clara e calma e conseguir relacionar-me com os outros assertivamente”, com certeza poderá ter dado vários indicadores de como saber que conseguiu atingir o objetivo, por exemplo: “saberei que sou assertivo quando sentir e perceber que o que disse foi entendido e me foi dado um feedback claro” ou “saberei que as minhas apresentações em público são claras quando sentir e perceber que a audiência me escuta com atenção, faz perguntas e eu me mantenho seguro do que digo e tranquilo o tempo todo.”

São estas as três vertentes de um contrato de Coaching: tema, objetivos e indicadores.

São estas as três vertentes de um contrato de Coaching: tema, objetivos e indicadores. Depois, o processo começa, o contrato é assinado pelas partes e, em cada sessão, também é preciso que esclareça o seu tema, os seus objetivos e os seus indicadores. Voltemos a um exemplo: “nesta sessão quero saber como faço para me manter calmo quando entro num palco para falar”. Definido o tema deverá esclarecer que o objetivo é, por exemplo, “sair daqui com estratégias para poder fazer a apresentação da próxima semana com conteúdos claros e com a calma necessária para me fazer entender”. Mais uma vez, vão perguntar-lhe como saberá que saiu da sessão com o objetivo cumprido e, mais uma vez, você dará o seu indicador ou indicadores. É assim que o Coaching profissional funciona, o cliente é dono do tempo, do tema e dos objetivos que quer atingir.

Provavelmente está a perguntar: “qual o trabalho do coach?”. Respondo-lhe com as palavras mais simples que consigo, tendo porém a certeza que são apenas a representação de ações mais complexas: o coach está a ouvir, a entender, a perguntar, a acompanhar sem juízos de valor. O coach é a presença e a escuta de que você precisa para que possa tomar consciência, descobrir com base nos seus valores, nas suas crenças e nas suas experiências. O coach é o seu corrimão para subir as escadas, não vai subi-las por si, mas está ali, a acompanhar o seu trabalho, a usar as competências que adquiriu para conseguir que o faça a partir de si mesmo, porque o princípio é esse: as pessoas têm todos os recursos de que necessitam para atingir os seus objetivos, mesmo que ponham a mão no corrimão, o objetivo do coach, como responsável pelo processo, é fazer com que esse apoio desapareça, gradualmente, para que possa continuar a subida sozinho, em equilíbrio e confiança consigo.

Há profissão mais bonita? É capaz de haver, mas eu gosto muito desta.

Paula Capaz

0 COMMENTS

LEAVE YOUR COMMENT